07

O MEU BOM PAI

 

“Pois vocês não receberam um espírito que os torne, de novo, escravos medrosos, mas sim o Espírito de Deus, que os adotou como seus próprios filhos. Agora nós o chamamos ‘Aba,Pai’, 16 pois o seu Espírito confirma a nosso espírito que somos filhos de Deus.”

Romano 8.15-16

 

Quando lemos o livro de Romanos, nos deparamos com uma realidade bem chocante para alguns de nós:  SOMOS ADOTADOS! Falando em adoção, somos levados a pensar em algo ruim ou doloroso, isso porque em nossa cultura há um certo preconceito e até mesmo um desconhecimento sobre a adoção.

Mas Paulo, ao escrever essa carta aos romanos, estava levando em consideração a cultura romana para adoção. Segundo essa cultura, ao adotar uma criança, os romanos acreditavam que estavam fazendo isso de livre e espontânea vontade, eles estavam fazendo uma escolha de querer ter um filho, não seria um acontecimento aleatório. Por isso, na cultura romana não se podia revogar uma adoção ou até mesmo deserdar um filho adotivo.

Mesmo tendo a consciência que Deus é nosso pai, às vezes nos pegamos duvidando sobre a paternidade de Deus. Por quê?

Muitas vezes temos nos comportado como servos de Deus e não como filhos. Deus não quer servos! Criou o homem, pois desejava viver em família. Ou seja, Deus não queria jardineiros para o Éden, Ele queria estabelecer sua família através do homem. O próprio versículos de Romanos nos afirma que Deus não nos deu um espírito de escravidão, um espírito de servo, mas sim um espírito que nos adota como FILHOS e FILHAS.

Outro problema que enfrentamos quando falamos sobre a paternidade de Deus é que tomamos como exemplo as vivência e características de nossos pais naturais como semelhantes ao nosso DEUS PAI. Isso é um ERRO!

Os nossos pais erram, eles não são perfeitos. Muitos erram porque não receberam o amor paterno. Por tanto, não sabem amar, não conseguem transmitir nenhum sentimento aos seus filhos, formando assim pessoas com dificuldades de se relacionar, principalmente com Deus, reconhecendo-o como Pai.

Toda essa realidade nos afeta e nos atrapalha ao vermos DEUS como um BOM PAI, mas temos que entender que Deus nos ama. Ele nos adotou como seus filhos e nada pode mudar isso.

Espero que através desse texto, você venha entender a necessidade de vivermos a plenitude da paternidade de Deus

Isso é tudo, por hoje é só.

Até a próxima pessoal.

 

3 cometario(s)

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.